Mestrando em evento

Minha Primeira Vez.

- Por Filipe Dias

No último One-Shot RPG organizado pela Associação Cultural Ethernalys, mestrei a aventura “A Floresta dos Grifos”. Foi uma experiência nova e emocionante, mas confesso que me senti deslocado.

Estou acostumado a mestrar campanhas longas ou aventuras que possuem mais de uma sessão. Nesse tipo de aventura, a preocupação com o tempo é mínima. Diferente do one-shot que você tem um tempo muito limitado para apresentar a aventura, desenvolvê-la com os jogadores e finalizar. Esse foi meu maior pecado, não deu para acabar.

Após essa experiência, visitei alguns blogs para pegar dicas. Recomendo lerem “10dicas para aventuras one-shot”; “OneShoot - Como mestrar em eventos” e; “Preparandouma aventura para um encontro”.

Outro ponto interessante, que pretendo melhorar para as próximas sessões é a motivação da aventura. Percebi com as dicas que ela tem que ser algo forte e impactante. Salvar a filha de um mercador em troca de algumas peças de ouro não é o suficiente para emocionar os jogadores.

A ideia acima seria mais impactante se a refém fosse a filha de um nobre e resgatá-la colocaria fim ou evitaria uma guerra.

Como ponto positivo dessa experiência foi eu ter usado personagens prontos, usar um sistema que conhecia bem, e já conhecer a aventura. Personagens prontos evitam perder tempo fazendo ficha. Conhecer o sistema não exige muitas consultas aos livros. Conhecer a aventura me deu liberdade para improvisar e pegar atalhos para fazer a história andar mais rápido.

Obrigado ao Fábio Zagnoli, Mariana Meireles e Creison Viana que prestigiaram a aventura “A Floresta dos Grifos”. Espero encontra-los em outras mesas.

6 comentários:

  1. Eu costumo me espelhar nas histórias de episódios de séries ao criar ou mestrar one-shots, em especial Caverna do Dragão e Sobrenatural. As histórias têm uma trama sucinta e enquadramentos de cena que guiam pra um desenlace com suspense e ação. É meio clichê, mas funciona bem em one-shots.

    ResponderExcluir
  2. Meus parabéns, nobre amigo! Este tipo de aventura pode realmente ser desafiadora e exigir ainda mais preparo do que uma campanha maior, porque tudo precisa fazer sentido em um tempo muito curto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Odin! Realmente demanda mais preparação. Mas o esforço compensa.

      Excluir
  3. Saudações amigos da RPGames Brasil

    Também sou jogador de RPG e concordo que mestrar aventuras one-shot ou muito curtas é extremamente complicado em termos de roleplay. Exige muita preparação por parte do mestre e colaboração por parte dos jogadores.

    E falando em roleplay, não sei se conhecem o mundo de Warcraft. É um cenário muito rico e repleto de elementos interessantes para se usar em campanhas de fantasia. Caso queiram conhecer mais, visitem o meu blog http://war-lore.blogspot.com.br/

    Parabéns pelo excelente blog.

    ResponderExcluir
  4. Malfurion, obrigado pelo comentário. Como você disse, exige a cooperação de todos!

    ResponderExcluir