Igor e J.Franscisco em ... É pro Fantástico?!?

O RPGames Brasil inicia uma nova seção, Entrevistas. Aqui, abriremos um canal para sabermos o que a galera do RPG pensa. Nesta postagem, traremos Bone e João, organizadores do QJRPG – Quero Jogar RPG BH!


RPGames Brasil: Fale-nos um pouco de vocês: quem são, idade e profissão.

Igor /Bone: Igor /Bone, apelido Bone. Leitor de quadrinhos e jogador de RPG das antigas. Formado em biologia, atualmente ralando no mestrado. Mantenho um blog [http://mib1602.wordpress.com/] sobre coisas nerds em geral e o pessoal pode me achar no twitter em @bonetm.

João Francisco: Meu nome é João Francisco e tenho 19 anos. Estou no 4º período do curso de Engenharia Elétrica e concluindo o estágio como técnico em Eletrônica.

RPGames Brasil: Como vocês se conheceram?

Igor /Bone: Foi nos eventos mesmo, quando ainda eram restritos aos Game Days oficiais da Wizards of the Coast.

João Francisco: Nós sempre participávamos. O Igor levava o Munchkin, eu como mestre de D&D4E e o Edy ajudando na organização e divulgação.

RPGames Brasil: Como foi o contato de cada um de vocês com o RPG? Ha quantos anos jogam?

Igor /Bone: Comecei há mais de 15 anos. Primeiro com aqueles livros jogos, depois com a caixa de D&D da Grow, AD&D, Storyteller, Gurps. Quase tudo que saiu de RPG no país já passou pelas minhas mãos e um bocado de coisa gringa.

João Francisco: Em 2006 tive minha primeira oportunidade de jogar. Entrei em uma mesa de 3D&T que não foi para frente. A ideia do jogo me atraiu, e decidi mestrar o SdA RPG (sistema CODA) para alguns amigos meus. No ano seguinte, entrei em um grupo de D&D3.5 e comecei a jogar "de verdade".

RPGames Brasil: Quais os seus sistemas favoritos? O que tem jogado ultimamente?

Igor /Bone: Gurps, como sistema. É um sistema que oferece uma base ótima e muitas possibilidades. Adoro também as ambientações da White-Wolf, especialmente Changeling e Lobisomem. Ultimamente, tenho jogado só em eventos, Munchkin ou algo do tipo.

João Francisco: o D&D (3.5 e 4E) são dois dos meus favoritos e os que eu mais joguei. Apesar de ter jogado pouco, gosto bastante do velho Mundo das Trevas. Atualmente, tenho um grupo de D&D3.5 que se reúne nas férias e às vezes mestro one-shots de D&D4E nos eventos.

RPGames Brasil: Igor, Quando e como surgiu a idéia de criar o QJRPG?

Igor /Bone: O QJRPG na verdade foi uma continuidade dos eventos que o Eclison organizava. Ele começou a querer fazer não apenas os Game Day, mas eventos constantes e como João e eu sempre íamos, chamamos a responsabilidade de ajudar na divulgação e organização. Os eventos, então, começaram a ganhar vida e o batizamos de Quero Jogar RPG.

RPGames Brasil: João, qual o principal objetivo do encontro?

João Francisco: Primeiro, reunir pessoas para se divertir. Segundo, divulgar o RPG e outros jogos.  Os eventos são um espaço para pessoas com interesse em RPG, cardgames, boardgames e outros hobbies. Para se encontrarem, se conhecerem, experimentarem jogos diferentes, conversar... é uma experiência muito legal para quem participa, e ajuda a manter vivo o hobby.

RPGames Brasil: João, como foi o 1° QJRPG. O que esperavam?

João Francisco: Nenhuma grande surpresa, foi bem similar aos Game Days. O que em si foi uma boa notícia! Ninguém tinha certeza se iria aparecer alguém, se havia interesse nesse tipo de evento. Tivemos mesas de D&D, GURPS, Munchkin, Nanuk. Não foi um dos eventos mais cheios que já tivemos, mas foi um dos mais divertidos. Conversamos bastante, pedimos pizza, jogamos e no final, ficamos mais animados que nunca para os próximos eventos.

RPGames Brasil: Igor, os primeiros encontros foram organizados na UFMG. Por que a decisão de mudar para a Black Dog?

Igor /Bone: Vários motivos, principalmente logística: a Savassi é mais central. Além de ter comida perto e um bom espaço. A UFMG é burocrática; o uso do ICB requer autorização prévia e nem sempre liberam na data que é a melhor para a gente. A sugestão veio da Liga Belorizontina de HeroClix. O pessoal se reúne a cada quinze dias, aos sábados. Ai, nos outros dias, eles vão para divulgar o jogo. E sobra espaço pra todo mundo se reunir e jogar.

RPGames Brasil: Qual a análise de vocês após a 8ª edição do evento?

Igor /Bone e João Francisco: O evento cresceu e amadureceu em vários aspectos. Hoje já começa a ser referência para os jogadores. Tem um público cativo. Sempre tem novidades; gente que nunca foi, então ainda é algo em crescimento. Queremos melhorar, sempre. O mais significativo, porém, é o potencial que o evento revelou - há interesse em BH por esse tipo de encontro, pessoas dispostas a participar, lugares para realizá-los, e é possível torná-lo bem-sucedido sem dor de cabeça e sem gastar dinheiro algum.

RPGames Brasil: O que diriam para os jogadores de RPG de BH sobre o encontro?

Igor /Bone e João Francisco: Participem: levem os amigos, divulguem, comentem, sugiram, critiquem. Apareçam para conversar. Abram a cabeça para conhecer jogos novos e levem o que vocês gostam. Experimentem mudar de grupo, nem que seja por uma tarde. Até mesmo podem montar um grupo nos eventos. Às vezes tem pessoas vendendo miniaturas e livros, distribuição de brindes. Vale a pena ir.

RPGames Brasil: O que diriam para quem nunca jogou RPG e gostariam de ir ao QJRPG?

Igor /Bone e João Francisco: Que venham! Frequentemente, aparecem mestres sensacionais, dispostos a ensinar os novatos, divulgar e explicar como é o jogo. Muitos mestres ficam felizes por poder introduzir alguém ao hobby. Mesmo para quem não está interessado no RPG em particular, o evento pode ser muito interessante. Nós temos outros jogos - Munchkin, Heroclix, Magic, Nanuk, Zombie Dice. Se o evento deixar de ser apenas para o nicho de jogadores de RPG e passar a formar novos jogadores ficaremos muito satisfeitos e com uma autêntica sensação de dever cumprido.

O RPGames Brasil agradece a entrevista e desejamos longa vida ao QJRPG BH! Parabéns a todos!

8 comentários:

  1. Bone e João, parabéns pelo evento, ainda + numa época em q o nosso hobbie estava restrito a grupos isolados, e a troca d idéias sempre é boa. Druida, parabéns tb pelo blog, ele tá bombando + do q nunca, e esta entrevista é reflexo disto.

    ResponderExcluir
  2. O Quero Jogar RPG sem dúvida foi uma das coisas mais legais que eu fiz até hoje!

    Desde os eventos da Wizards, lá pelos anos de 2006, 2007, eu já queria fazer algo assim!

    Conhecer o Eclison e auxiliar na tarefa de organizar os eventos foi ótimo, o que nos rendeu o 1° Quero Jogar RPG!

    A colaboração do Igor, do João e a presença de todos os mestres e jogadores que participam dos nossos encontros é indubitavelmente um feedback fantástico e a certeza de que com essa turma, o RPG será jogado por todas as pessoas do mundo!

    Parabéns e obrigado à RPGames Brasil pelo apoio e nos encontramos daqui a 3 dias, no 9° Quero Jogar RPG!

    ResponderExcluir
  3. Edy, não precisa agradecer! O RPGames Brasil estará sempre de portas abertas para vocês!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante, nobre druida! Tivestes mais uma grande idéia.

    ResponderExcluir
  5. Hehhehehe, ótima matéria! Eu organizei alguns eventos sim, os primeiros, mas as coisas só melhoraram quando o Igor, o João e o Trio Abreu (Edy, Thiago e Poliana) começaram a dar um suporte ao que eu fazia.

    Hoje, infelizmente, não posso mais organizar os eventos. Acreditem, sinto saudades. Mas é sempre ótimo saber que tem esses caras segurando a peteca! E já estamos rumo ao décimo Quero Jogar RPG BH!

    Ótima a iniciativa... quem quiser um relato dos eventos pré-RPGBH, pode mandar mensagem pra mim, ou procurar um outro pessoal que organiza eventos, que é o clube Sétima Armada.

    Abraços,

    E.

    ResponderExcluir
  6. Ah, e sem falar no Kender! Não se esqueçam do nosso Super Kender, que sempre abre a sua loja para nossas atividades, a exemplo de como foi o último QJRPGBH.

    Dá-lhe, Kender!

    E.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza EClison, não podemos esquecer de dar o créditos a vocês também! Da-lhQJRPG!

    ResponderExcluir