As Crônicas de Gelo e Fogo – Fúria de Reis

2º Volume x a 2ª Temporada
(por José Noce)

Continuando a série de resenhas da crônica de George R. R. Martin, iremos agora tratar do segundo tomo, Fúria de Reis. Mais uma vez, quero alertar aos desavisados que esta postagem está recheada de spoillers. Para quem não acompanhou a primeira parte, eis aqui a resenha de Jogo dos Tronos.

Umas das primeiras diferenças que eu gostaria de assinalar é quanto ao sexo. Na série ele é muito mais explícito, talvez com o objetivo de aumentar a audiência. Há sexo nos livros também, mas é narrado apenas quando é relevante para a trama. Em outras ocasiões, é sutilmente sugerido, dando margem a especulação por parte do leitor. Por exemplo, é o caso do Rei Stannis Baratheon com Melisandre, a sacerdotisa do Senhor da Luz, onde ambos estariam praticando o sexo  como parte de rituais obscuros. Outro exemplo são as cenas do triângulo amoroso entre o Rei Renly Baratheon, Sor Loras e sua irmã a Rainha Margaery Tyrel. Isso foi, totalmente, inventado pela HBO. No livro, não há cenas de sexo nem entre Renly e Loras, como comentado na primeira resenha, e nem entre Renly e Margaery, pois ela ficou em Jardim de Cima, não acompanhando seu marido em sua marcha por Westeros.

Ao contrário da primeira temporada, na segunda, a trama foi alterada bruscamente. A história foi extremamente condensada. Por isso, há diferenças o suficiente para surpreender quem se aventurar a ler o romance, mesmo conhecendo previamente a série.

Não só cronologicamente, mas também o desenrolar dos fatos foram alterados. Pequenos detalhes, mas não menos importantes, foram adiados ou omitidos. No romance, Lorde Varys revela como ele foi castrado, o que só aparece na terceira temporada. As circunstâncias como Arstan, o Barba Branca e Belwas, o Forte, aparecem na história foram totalmente omitidas. A maioria dos eventos ainda está lá, porém envolvendo circunstâncias ou personagens diferentes. Os nomes das pessoas que Arya Stark leva ao assassino Jaqen H’ghar para que ele as mate e a chantagem que ela faz com ele no último nome, na serie é  igual. Entretanto, não com o intuito de fugir de Harenhall, mas sim de libertar vários prisioneiros do Norte recentemente capturados. No caso do cerco a Ponta Tempestade, Melisandre usa seus poderes para matar duas vezes e não apenas o Rei Renly. Há muitas outras situações que não citarei aqui para não transformar esta postagem num banner!

Os figurinos e os cenários são condizentes com as descrições do livro. No entanto, eu tenho duas críticas. Em primeiro lugar, a HBO colocou um ator para fazer o papel de Stannis que aparenta ter mais idade do que seu irmão mais velho Robert. E mais uma vez, eles “embelezaram” o Tyrion, dando-lhe uma cicatriz muitíssimo suave do que a que ele recebeu no livro durante a defesa do Portão do Rei. Não foi apenas um corte superficial, lhe dando um ar mais de machão. Ele decepou três quartos do seu nariz e um pedaço do lábio. Ficou “bunitinhu” igual bater na mãe no Dia das Mães!

Estão gostando? Pois aguardem mais um pouquinho para a próxima postagem, Tormenta de Espadas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário