Hammerblood 2 – Capítulo IX


Sir Collins Smith
(por F.L.Dias)

Araor, o feiticeiro; Colossos, senhor dos machados; Eslter, o halfling; Nihill Twohanded Sword; Traver, o caolho; e Wilmorn, o menestreu viajaram rápido para o sul. Pararam o suficiente para descansar e para comer alguma caça ou frutas silvestres. Em três dias, chegaram ao protetorado de Water Smith.

O protetorado ficava em uma planície. Seu tamanho lembrava Hammerblood. Uma fortaleza formada por uma torre, cercada por uma muralha de pedra, destacava-se no alto de uma colina. Aos pés dela, algumas dezenas de casas abrigavam os camponeses da vila.

O grupo de aventureiros resolveu criar uma base de operações. Elster encontrou uma caverna, ideal para o esconderijo e com um fogo mínimo discutiu qual seria o plano. Wilmorn se ofereceu para ir ao protetorado e se apresentar como menestrel para o cavaleiro. Elster seria seu aprendiz, assim não levantaria suspeitas. Os dois se dirigiram ao castelo.

Assim que chegaram a vila, dois guardas os pararam. Wilmorn explicou que era um menestrel e que desejava alegrar a noite do senhor daquelas terras. Os guardas acharam interessante a ideia. Enquanto iam para o castelo, outros guardas analisavam o halfling.

Ao chegarem ao castelo, os viajantes foram bem recebidos e após o jantar, uma linda dama de aparentemente quinze anos pediu uma musica de amor. Wilmorn começou a dedilhar o alaúde.

Sua música encantou a todos os presentes, exceto ao anfitrião, Sir Collins Smith que chamou um guarda para perto de si e, falando em seu ouvido ordenou que assim que acabasse a música desse voz de prisão para o halfling.

Assim que a musica parou, Lady Atia começou a aplaudir e os outros convidados a acompanharam. Nesse momento, um guarda segurou Elster pela capa e o arrastou para a frete do cavalerio.

- Fomos avisados que você viria, halfling – bradou Sir. Collins. – Sua descrição bate com a mensagem que me foi enviada.

Elster, percebendo que o plano foi por água abaixo começou a se concentrar em teleporte. Antes que qualquer guarda pudesse o impedir, ele usou da magia e desapareceu na frente de todos.

- Senhor, desculpe-me, mas esse halfling me convenceu que gostaria de ser um aprendiz da arte – se desculpou Wilmorn. – Não sabia que ele era um traidor.

- Guardas, levem esse menestrel para o calabouço. Amanhã extrairemos dele cada pingo de verdade.

- Meu marido – falou Atia – por favor, não coloque o menestrel no calabouço. As leis não permitem. Deixe-o na torre. Lá, não terá como escapar.

2 comentários:

  1. O próximo capítulo já está saindo do forno!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Espero que esteja tão bom quanto este!

    ResponderExcluir