Hammerblood - Capitulo III - Onde tudo acontece

Nessa sessão, Elster (interpretado por Marco); Nihill (interpretado por Paulo Ernesto); Araor (Antônio Carlos) e Colossos (Adimar) descobrem que uma pacata vila pode ser muito mais barulhenta do que uma cidade grande. Afinal, em Hammerblood, as coisas acontecem.


Os meio-elfos Endroé e Eringar entregaram a mensagem ao baronete Eöul Hammerhand e partiram no dia seguinte a sua chegada.

Ao amanhecer, duas novas figuras forma avistadas no vilarejo. A primeira, era um halfling de 15 anos de idade. Com seu cajado, dirigiu-se para a hospedaria sol de prata para descansar da viagem. Outra figura era um mendigo chamado Nihill. Barba e cabelos bem grandes, maltrapilho, revirava o lixo em busca de algo para comer.

- O que está fazendo ai, verme! Escutou a voz imperativa do capitão da guarda.
- Nada senhor, apenas procurando algo para saciar minha fome – respondeu o pobre homem com aparência faminta.

Disposto a expulsar o mendigo da cidade, o capitão, chamado Jordan, preparou a sua lança. Nihill alegando ser um homem santo realizou uma mágica de levitação para impressionar o homem. Eis que surge padre Bartolomeu que percebeu o poder de Nihill e intercede junto ao capitão para que o deixe. Padre Bartolomeu leva então o homem para dentro da taverna.

Nos salões da hospedaria Sol de Prata, Colossos, Araor, um mago iniciante e Elster haviam acabado de se conhecer e tomavam o desjejum juntos. Barolomeu e Nihill se juntaram a eles.

Enquanto tomavam café e se apresentavam, a porta a hospedaria veio a baixo. Um anão, encontrava-se sobre o espaldar e clamava por seu martelo roubado.

- Calma mestre Dwalin, conte-nos o que aconteceu – falou padre Bartolomeu.
- Padre, ontem nosso lorde, acompanhado de seu filho e do capitão Jordan me procuraram para encomendar uma armadura para o garoto. Falei que faria com meu martelo mágico, mas hoje quando o procurei havia desaparecido. Dou a recompensa de uma espada feita de minhas próprias mãos para aquele que o encontrar.

Prontamente, todos atenderam o chamado do anão e foram até a sua forja investigar. Lá descobriram que, possivelmente, o martelo havia sido roubado e Nihill encontrou um pingente com o símbolo da Hospedaria Sol de Prata.

Enquanto investigavam a forja, Colossos foi até o baronete para solicitar trabalho, e foi informado que havia uma recompensa para quem expulsasse um ogro que habitava a velha mina de cobre.

Depois de discutirem entre se o melhor caminho, decidiram ajudar o anão. Resolveram ir até a taverna e ao chegarem lá, tiveram noticias que a filha de Anna havia desaparecido. Assim, juntamente com alguns guardas da vila e o capitão Jordan partiram para a floresta para encontrar a pequena Anita.

Na floresta, resolverão separar e para encurtarem as buscas, Colossos, Araor, Nihill e Ester separaram-se do grupo do capitão Jordan quando chegaram até um riacho e não conseguiam achar mais nenhum rastro. A direção tomada, levou-os até o Pântanos das Almas. Um lugar sombrio de mau agouro, onde uma notória bruxa vivia, cercada por aranhas.

Araor encantou Colossos com uma mágica de vôo. O forte guerreiro então carregou o mago nos braços, enquanto Elster subia em suas costas. Nihill realizou sobre si mesmo um mágica para levitar e agarrou o pé de Colossos e desse modo, voaram para o centro do pântano, rumo a caverna onde a bruxa habitava.

Assim que pousaram, seus maiores temores apareceram. Quatro aranhas do tamanho de um pônei descerão das árvores, Suas mandíbulas esperavam pela carne saborosa e seus pelos rubro-negros davam as aranhas um aspecto ameaçador. A pouca luz da tarde, filtrada pela copa das árvores dificultava a visão dos aventureiros que viam a poucos metros à frente, a entrada da caverna da feiticeira.

6 comentários:

  1. Pelas minhas barbas, esta é uma história deveras interessante! Hei de acompanhá-la atentamente.

    Parabéns, nobre druida!

    ResponderExcluir
  2. Concordo com Mestre Odin! É sempre bom acompanhar novas aventuras...

    ResponderExcluir
  3. Caros, foi um tópico como esse no site o Clérigo e o Ladino que me inspirou a montar o blog! Inicialmente faria algo apenas relacionados ao diário de campanhas, mas como tinha muito material acumulado nesses anos, resolvi postá-los também!

    Como eu sempre digo, esse blog é para vocês rpgistas e é inspirado em nós RPGistas!

    ResponderExcluir
  4. E nós lhe agradecemos muito por vossa disposição e trabalho, nobre druida! Que o blog prospere sempre, e parabéns também por vossa promoção (só não participo porque já possuo o livro o Hobbit, então seria injusto!).

    ResponderExcluir
  5. Astreya, sem problemas! Agradeço a sua honestidade! Teremos outras promoções e conto com a participação de todos!

    ResponderExcluir