Hammerblood 2 – Capítulo III



Surpresa na noite (por F.L.Dias)

Araor, Elster e Nihill rumaram para Hidelban. Elster encantou dois cobertores, transformando-os em tapetes mágicos. Em poucas horas chegaram à vila de Alyster, uma vila cercada por uma paliçada e torres construídas em madeira e pedra.

Elster e Araor, não tiveram problemas para passar pelos portões da vila. Entretanto, Nihill com sua espada de duas mãos às costas chamou a atenção do guarda. Para entrar deveria entregar sua querida arma, assim decidiu pensar em uma estratégia para passar pelas muralhas.

Eis que cantarolando pela estrada surgiu um homem cuja voz era conhecida. Ele carregava nas costas um machado e na cintura trazia uma espada curta. Apoiado nos ombros, trazia uma besta.

- Ora, ora se não é Traver. O que faz aqui - perguntou Nihill.

- Tive alguns problemas em Kethalos e resolvi passar uns dias no sul. E você?

- Elster e Araor me esperam na vila, mas é proibido para um homem livre entrar na armado – respondeu Araor.

- Um problema fácil de resolver – falou Traver. – Venha comigo.

Entrando na floresta, Traver chegou até uma árvore e a marcou com o seu machado. Depois contou dez passos para o sul e começou a cavar um buraco. Logo depois jogou seu machado, sua espada, a aljava e a besta. Percebendo o mesmo estratagema, Nihill cavou outro buraco e certificou de esconder bem a sua espada. Pouco tempo depois estavam reunidos a Araor e Ester.

***
Enquanto jantavam na taverna, um homem de capuz se aproximou da mesa dos quatro aventureiros.

- Parece que nossos amigos se cruzaram!

- Rydell, seu cabeludo, o que faz aqui – perguntou Elster ao reconhecer a careca lustrosa do companheiro.

- Estou indo para Hidelban, em busca de trabalho.

Todos ficaram surpresos com a coincidência e decidiram alugar um quarto juntos para passar a noite. Araor, Nihill e Traver se dirigiram para a hospedaria que ficava em frente à taverna, enquanto Elster comia seu quinto prato de um assado de porco.

Quando Elster e Rydell pretendiam deixar a taverna, um homem o segurou pela capa.

- Quem é aquele homem barbudo e cabeludo?

- Não sei senhor, apenas dividíamos a mesa – falou rapidamente o halfling.

***
Araor, Elster e Nihill deixaram Rydell e Traver a par de sua missão. Os dois concordaram em ajudar. Assim, os cinco aventureiros se prepararam para dormir. Araor ficaria com o promeiro turno de guarda. Elster sem sono havia concentrado todo o seu mana para magias de encantamento. Eis que alguém bateu à porta.

- Quem é – perguntou Araor acordando todo o grupo.

- Sou Nina, a garçonete. Vim trazer uma jarra de água.

Desconficado, Araor ordenou-a que fosse embora. Ela obedeceu e seus paços desapareceram na escada. Pela janela, Nihill observou a rapariga que atravessou a rua correndo até a taverna.

Curioso, Araor retirou o ferrolho da porta. Nesse momento. Com um forte empurrão ela foi aberta e dois homens com bestas preparadas dispararam contra Araor e Nihill. No corredor, mais quatro homens armados preparavam-se para atacar.

5 comentários:

  1. Desarmados!!!!!!

    Terão que usar de muita astúcia para sair dessa!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Hahaha, realmente.

    Muita astúcia ou um pouco de garrafas quebradas e pedaços de mobília...

    ResponderExcluir
  3. E algumas noções de parkour, pra fugirem depressa d lá. kkkkkkkkkk

    E Druida, eu axo q vc deveria narrar essa história do seguinte modo:

    Qdo Araor abre a porta, esta é arrombada aos pontapés por vários homens armados, que invadem o quarto e começam a cantar:

    PARABÉNS PRA VOCÊ
    NESTA DATA QUERIDA
    MUITAS FELICIDADES
    MUITOS ANOS DE VIDA

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Pra quem ficou sem entender, é assim q no nosso grupo descrevemos uma situação em q os players são pegos d calça curta.

    ResponderExcluir
  4. Voltei da viagem que dia e a próxima sessão?

    ResponderExcluir
  5. Próxima sessão, sábado dia 18 de junho! Não percam!!!

    ResponderExcluir