GURPS CYBERPUNK


Te vejo na fronteira
(por Filipe Dias)


GURPS CYBERPUNK é sem dúvida um dos suplementos mais clássicos de GURPS. É um livro de gênero que foi lançado em 1990 e traz para as mesas de jogo a temática da cybercultura. Apesar de não ter ganho uma versão na quarta edição do GURPS, ainda é uma ótima referência.

Em um mundo de alta tecnologia, o homem passa a fundir-se com a máquina. Próteses biônicas, olhos artificiais, garras implantadas, armas, netrunners, inteligências artificiais e armas, povoam esse universo. Nesse mundo superpopuloso, poluído e violento, a vida não tem valor. A sobrevivência é o que importa.

LoydBlankenship discute nos capítulos o significado do termo cyberpunk, a criação de personagens, a lista de equipamentos de alta tecnologia e biônicos, dentre outros elementos da cybercultura.

Capa da edição americana.
Um dos capítulos mais importante é o Netrunning. Ele apresenta regras e ideias de como que seria a rede de computadores no futuro e a interação dos cowboys de console (hacker) com ela. Esse capítulo rendeu a apreensão do FBI de todos os computadores da SJ na época, pois o governo americano acreditava que o livro poderia formar novos hackers.

Os dois últimos capítulos do livro ajudam o mestre a criar o cenário e dar o tom para as aventura e campanhas. Com base neles o mestre pode projetar a cidade onde vive 100 ou 200 anos no futuro e transformá-la em um cenário cyberpunk para as suas campanhas.

Um bom exemplo é Belo Horizonte 2121, cenário de campanha que desenvolvemos. Juntamente com o GURPS CYBERPUNK e a aventura Clonagem- Parte I, você entenderá como as coisas funcionam nesse universo de alta tecnologia.

Até o próximo tiroteio de sábado à noite, se você sobreviver. Te vejo na fronteira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário