Meu Deus, outra edição de D&D


Um império fragmentado
(por Filipe Dias)

A Wizard of the Coast anuncia o projeto de uma quinta edição para o famoso Dungeons and Dragons.  O jogo será desenvolvido de forma aberta, contando com a colaboração dos jogadores. É uma tentativa de agradar aos fãs que se dividiram entre as várias edições, até então lançadas.

O que me chama a atenção é a fragmentação dos fãs de D&D. Nos anos 90, ouviam-se discussões intermináveis sobre qual era o sistema de regras. GURPS ou D&D?  Ou, então os embates eram sobre a superioridade do sistema STORYTELLER em relação aos outros. Os fãs se dividiam entre os sistemas e cada empresa tinha seu público.

Em doze anos, a WoC está prestes a mudar um dos RPGs mais jogados do mundo pela  4ª vez. Em 2000 foi lançado o D&D 3.0, com o D&D 3.5 publicado em 2003. Em 2008 chega às prateleiras o D&D 4.0 e agora em 2012 o D&D 5.0. Todas as edições tiveram alterações nas regras que dividiram os fãs. “Cada uma das mudanças absorveu um pouco o ambiente do mercado de sua época e procurou dar aos jogadores aquilo que eles deveriam gostar. Seja o foco na história trazida pelo Dragonlance ... e a onda interpretação do Vampiro, ou o movimento ‘seja igual é legal’ da 4e”, pondera Antonio "Mr.Pop" Sá Neto, 30 anos, Editor Geral da Redbox Editora.

A grande questão é até que ponto novas edições trazem um benefício para os amantes de RPG? A Wizard of the Coast deve ter sentindo onde mais dói, ou seja, nos lucros. Desenvolver um novo projeto atenta a opinião dos jogadores é uma tentativa de unificar seu público na nova edição.  Para Antônio Carlos, estudante de Engenharia Mecânica na UFMG e jogador de D&D desde 2001, acha que a 5ª edição não unificará os jogadores, pois “não dá para agradar a gregos e troianos”.

Enquanto assistimos a dança das edições de D&D, vale a pena a pergunta: é saudável para o hobby tantas mudanças e tantas edições? Será que tantas edições apenas desagregam os fãs em favorecimento de poucos? Fica as perguntas e que bons ventos tragam um sistema com menos divergências.

4 comentários:

  1. Também sou contra o lançamento de diversas edições em tão pouco tempo, mas infelizmente, a filosofia do caça níquéis realmente tomou conta do D&D após a separação da TSR.

    Contudo, ao que tudo indica, esta nova edição tem como premissa corrigir as abominações feitas no D&D durante a 4a edição. Se for bem sucedido nisso, e realmente conseguir retomar o clima "clássico" do jogo, acredito que será o grande retorno do grande D&D que muitos de nós apreciam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que sim Odin! Ouvir os jogadores é o primeiro passo.

      Excluir
  2. Ah, sei lá... Esse lance do mercado mainstream vomitando enlatados no público RPGista pra mim num cola não. Ainda + nas gerações antigas, q baixam td free na net. O clima d desconfiança das velhas gerações é difícil d c contornar, ainda + depois do fiasco da 4a ed. Eu só axo q tem chance d dar certo c o D&D conseguir alcançar um equilíbrio entre o estilo mmo d jogo (q agrada aos novos jogadores) e as suas raízes (q agrada aos velhos jogadores). C não vai fragmentar os jogadores d novo.

    ResponderExcluir
  3. É isso ai José. Agradar a gregos e troianos como falou nosso amigo Antônio Carlos. Se fizerem o que anunciaram, ou seja, ouvir os jogadores, poderão ter uma chance de sucesso.

    ResponderExcluir