As Crônicas de Gelo e Fogo – Jogo dos Tronos – Parte II

O Livro versus a Série
(por José Noce)

No post anterior, PARTE I, falei sobre a trama e o cenário. Agora falarei da adaptação que fizeram sobre os personagens.

A composição dos personagens existem algumas diferenças gritantes. Umas justificáveis, outras não. A Daenerys Targaryen do livro não é aquela delícia estilo “Cicciolina”. Ela ainda é uma delícia, porém no estilo Lolita, com apenas treze anos de idade. Afinal, não pegaria nada bem para a HBO colocar um bárbaro “sinistrera” “acasalando” com uma menininha!

Por falar em diferença de idades, muitos personagens foram envelhecidos. Quase todos pelo mesmo motivo: é muito difícil encontrar atores mirins realmente convincentes. Na minha opinião, com muito esforço, eles conseguiram dois bons atores para interpretar o Príncipe Joffrey Baratheon e Arya Stark, e medianos para interpretar as demais crianças. O caçula dos Stark, Rickon, teve a idade aumentada de três para uns seis anos. O que eu achei adequado, pois ele era muito esperto e falante para sua idade no livro. Dado o peso de seus papéis, Robb Stark e seu meio-irmão Jon Snow tiveram sua idade aumentada de quatorze e treze anos para uns vinte e poucos anos. Consequentemente, as idades de Eddard e Catelyn Stark subiram de uns trinta e cinco anos para quase cinqüentões, assim como do amigo e irmão de armas de Ned, o Rei Robert Baratheon.

A Rainha Cersei e seu irmão gêmeo Jaime Lannister não têm nada a ver um com o outro, mas os atores compensam isto com uma boa pegada de seus personagens. O mesmo acontece com Tyrion Lannister, que é um galã perto do personagem do livro.  
Os figurinistas da HBO poderiam ter caprichado mais em Tyrion Lannister, pois além de ser anão, ele é corcunda, tem um olho preto e outro verde. Suas pernas são muito tortas, fazendo com que se locomova bamboleando e com certo esforço.

Agora, a mais gritante das diferenças foi a invenção do caso homossexual entre Lorde Renly Baratheon e Sor Loras Tyrel, o Cavaleiro das Rosas. Com o intuito de atrair o público gay, eles avacalharam com a história . Não há no livro qualquer boato ou comentário malicioso a este respeito. Renly é sim um homem vaidoso, que usa trajes suntuosos e armaduras fulgurantes, além de adorar ser o centro das atenções, mas é só. Sir Loras também é um tanto vaidoso. Gosta de vestir o seu manto coberto de rosas, que afinal são o símbolo da Casa Tyrel, mas apesar de seu renome e alguma perícia, ele não passa de um rapaz de dezesseis anos sedento por glória.

Não percam a próxima parte, falando do segundo livro, Fúria de Reis.

6 comentários:

  1. Ai José, excelente post!

    Cara, so acho que exagerou nas idades de Catelyn, Nedd, John Snow e Robb. Acho que os pais estam na faixa de 40 anos e os jovens na faixa de 18.

    Valeu!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço o espaço pras essas minhas linhas tortas. Mas o Sean Bean já tem cara de ter uns quarenta e muitos, assim como a atriz que fez a Catelyn. Ou talvez seja o aspecto endurecido do povo do Norte que lhes dá uma aparência mais envelhecida.

      Excluir
    2. Lembrando que em um mundo medieval as pessoas aparentam ter uma idade mais avançada!

      Excluir
  2. Realmente, o caso entre Renly Baratheon e Sor Loras Tyrel foi uma péssima jogada de marketing que apelou extremamente para sensacionalismo barato, algo que a HBO fez em várias partes série para cativar o público através cenas inventadas de tortura, violência gratuita e violência sexual.

    Felizmente, as pessoas estão começando a perceber estas mudanças e a criticar estes aspectos na série.

    Ótimo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a série não precisava alterar nada dos livros para fazer o marketing.

      Excluir
    2. Vlw Odin. Ai é que está o diferencial de George R. R. Martin. O cara atrai a nossa atenção de uma forma muito mais sutil, através de sugestões. O sexo e a violência só se tornam presentes quando realmente são relevantes à trama.

      Excluir