Bright


Não é Shadowrun

por Filipe L. Dias

Bright é o novo filme de David Ayer para o NETFLIX. Em um futuro próximo, a magia e tecnologia fazem parte da Terra. Elfos orcs e humanos convivem nesse cenário de forma relativamente harmônica. Poderia ser Shadowrun, mas passa longe disso.

A ambientação é muito boa, tem uma pegada punk, mas falta o cyber. Ayer constroi a trama envolta de dois policiais, um humano chamado Ward, e um orc de nome Nick Jakoby. Em meio ao drama racial protagonizado pelos dois, eles são envolvidos em uma trama mágica. Uma elfa chamada Tikka está com uma varinha mágica, capaz de acordar uma força maligna. Alguém terá que evitar isso.

A maquiagem do filme é impecável. O cenário é bem retratado e tem uma pitada de humor. Pena que não é um, filme baseado no universo de Shadowrun. Faltou os implantes cibernéticos, hackers e o cyberspace.

Divertido, um pouco superficial. Entretanto, Bright é um filme que pode servir de inspiração para uma aventura de Shadowrun.


6 comentários:

  1. Respostas
    1. Gostaria muito de saber suas impressões sobre o filme.

      Excluir
  2. Urban arcana, mundo moderno com pitadas de fantasia,acho que era um cenário do d20 modern

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ed, não conheço esse cenário. Vou pesquisar.

      Excluir