VAMOS PÔR ORDEM NESTA BODEGA!!! – Parte V


Como Montar um Grupo para uma Campanha
- por José Noce

Há uma coisa que quase todo RPGista na casa dos trinta já deve ter percebido: o quão difícil é tocar adiante uma campanha na nossa idade. Aos quinze, era só festa. Já mestrei seis dias por semana numa boa. Hoje, por causa do peso das responsabilidades, se eu mestrar ou jogar uma vez por mês, é lucro.

Eu já toquei neste assunto em outro post, Saindo da Inércia!. Confesso que atualmente é a blogsfera que me mantém mais próximo do mundo do RPG. Não que eu desdiga o que eu escrevi lá. A questão é que hoje organizar uma campanha requer para mim um grande sacrifício. É menos tempo que disporei para resolver meus problemas de gente grande. Então, o mínimo que eu exijo dos meus jogadores é que eles façam valer a pena o período que eu me dedico a diversão deles. E para que isso aconteça, eu criei o Método das Peneiras.

A primeira peneira é a da Afinidade, algo bem presente na aventura solo Saindo da Inércia. Chamar um amigo muito zoeira para jogar Call of Cthulhu é condenar sua campanha ao fracasso. Portanto, reúna jogadores que melhor se adaptem e que curtam o RPG que pretende mestrar. Faça também, como dito no “Bodega IV”, uma sinopse da sua campanha, para que os jogadores saibam se aquele é o tipo de jogo que desejam jogar.

A segunda peneira é a da Disponibilidade. Um grande amigo sempre me pergunta quando iremos continuar uma antiga campanha de Desafio dos Bandeirantes. Porém, sempre que eu chamo ele para jogar, arruma uma desculpa esfarrapada para não ir. Convide pessoas com tempo disponível para jogar periodicamente. Organize com elas um dia e um horário em que possam se reunirem com facilidade. O mestre deve decidir se as seções serão semanais, quinzenais ou mensais, de acordo com a agenda de todos. Escolha um local de fácil acesso a todos, caso os jogadores dependam de transporte coletivo.

A terceira peneira e a mais importante, é a da Prioridade, Responsabilidade e Assiduidade. Aquele meu amigo nunca tem tempo para jogar, mas não abre mão de malhar, nem chovendo fireball! Uma campanha é um compromisso que você faz com o resto do grupo. Seja uma vez por mês, a sua agenda aquele dia é jogar RPG! Explique isto para eles até dar câimbras na sua boca. Sem essa do mestre ficar lembrando aos jogadores o dia de jogo; ninguém aqui é neném. Farra, orgia e ressaca não são desculpas para não jogar. O cara sabia muito bem que no outro dia teria jogo. Da mesma forma, atuação em ONGs, entidades, igrejas, partidos políticos, etc, não justificam a ausência. Deixe bem claro aos jogadores: se não pode dispor de fato do horário previamente combinado, não dê a sua palavra em vão! Isto também vale para compromissos sociais, familiares e profissionais. Não digo para deixar de ir ao reencontro da sua antiga turma de escola, ao aniversário do seu pai ou aquela reunião importante na empresa. Todas essas datas já estão pré-definidas, o que dá condição de avisar o  com antecedência para todos refaçam suas agendas. Afinal, imprevistos acontecem.

Convide para sua campanha apenas os jogadores que passarem por todas as peneiras. Caso contrário, não perca o seu tempo. É melhor ficar só nos one-shots. Ou então, vá reformular seu deck de Magic esquecido na gaveta, tirar seus exércitos de Warhammer ou Hero Clix da caixa de sapato, ou limpar a poeira daquele seu velho jogo de Ludo. Pois, você terá apenas uma campanha meia-boca com personagens itinerantes, que terminará na sua desmotivação como mestre e dos jogadores que realmente estavam mais empolgados. Se você conseguir peneirar aos menos umas três pessoas, parabéns! Siga adiante. No próximo Bodega iremos falar sobre como organizar uma campanha. Até mais!

6 comentários:

  1. Concordo com você! Por falar nisto a campanha que estava participando está rolando ou parou? Gostaria de notícias!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciana, o post do José chama a atenção para a cooperação de Jogadores e mestre. Vamos ver se a galera anima de terminar a campanha. ;)

      Excluir
  2. Vc falou td Druida. Se os jogadores não tiverem boa vontade, é desperdício um mestre se matar organizando uma campanha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José, só acredito que imprevistos acontecem e as vezes fica em cima da hora para avisar o grupo. Nesse caso, acho que o mestre e os outros jogadores devem perdoar. Se for constante, ai não tem perdão. Caixão e vela preta para o jogador descompromissado.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Vlw Bruno. Já tá saindo do forno o Bodega 6 continuando este assunto.

      Excluir