VAMOS PÔR ORDEM NESSA BODEGA!!! – Parte III


JOGADORES PALPITEIROS
(por José Bones e Filipe Dias)


Na terceira parte desse artigo vamos falar sobre os jogadores que não conseguem deixar de dar um palpite na interpretação dos outros jogadores. Nas partes I e II falamos sobre os Advogados de Regras e os Cabeça de Martelo, figura também comum na mesa de jogo.

Os palpiteiros nunca se cansam de dar dicas nas ações dos outros membros do grupo, principalmente, na hora dos combates. Isso pode muitas vezes travar o andamento do jogo, com discussões intermináveis sobre como agir.

O mestre nessas horas deverá ser razoável. Se ambos os personagens estiverem na mesma cena e o personagem do jogador palpiteiro puder falar, a dica pode ser aceita. Entretanto, se ele estiver amordaçado ou inconsciente, uma dica na hora errada poderia significar alguns pontos de experiência a menos na aventura.

Outro ponto é a quantidade de informação que se pode transmitir na cena. Alguns RPGs, como o GURPS, definem o turno de combate em um único segundo. Nesse tempo, não dá para dizer nada o mais do que, por exemplo: “Corra” ou “Atrás de você”. Outro RPGs possuem sequencia de combate mais longas. Novamente, aqui cabe o conselho para o mestre usar o bom senso. Bem, o mestre pode cobrar alguns segundos a mais para ele terminar a frase, o que limitaria o personagem nos turnos subsequentes.

O que o mestre nunca deve permitir é que os palpiteiros controlem a ação dos outros jogadores. É terrível para a aventura quando aquela voz vinda do além para o ladrão na hora de desarmar a armadilha dizendo: “Se eu fosse você, não faria isso”. Nessas horas vale a pena tirar o jogador da mesa e explicar para ele que o  sentido do RPG é criar um história.

2 comentários:

  1. Druida, ficou muito boa a sua complementação ao texto original! Ficou bem + abrangente.

    Só faltou uma dica sobre como lidar jogadores palpiteiros. Talvez, eu seja um mestre meio "despótico". Mas esta é uma forma muito eficaz de resolver o problema. Se um jogador der palpites na ação de outro estando fora da cena, ele deve receber uma penalidade em Pontos de Experiência, como dito acima. Caso seu personagem esteja presente na ação do outro, e faça comentários maiores do que “Isso mesmo!”, “Não, seu burro!”, “Por ali!” ou coisas do gênero, ele gasta a sua próxima ação simplesmente falando, perdendo o direito de agir, dizendo algo como “Seu tonto! Eu não disse pra você atacar o monstro da direita enquanto eu pegava o da esquerda?” Caso ele teime em dar palpites demais, mesmo que curtos, ele também poderá ser penalizado em Pontos de Experiência.

    Pra terminar, vc disse q num segundo não dá para dizer nada o mais do que “Corra” ou “Atrás de você”. Vc fala isso pq vc ainda é solteiro! Casa pra vc ver c uma esposa num fala bem mais! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José, agradeço pelo elogio e agradeço também por ter enviado a postagem! Muito boa!

      Excluir