Hammerblood 2 - Capítulo X


A passagem
(por Filipe L. Dias)

Wilmorn estava trancado em um quarto na torre. Pensava em qual estória inventaria para escapar dessa enrascada. Outras vezes, já estivera em situações semelhantes, mas não tão difícil como essa. Sir Collins Smith sabia do halfling e dos outros. Por sorte, as informações que o cavaleiro recebeu, não continha a descrição do menestrel.

Passa da meia noite quando escutou o ferrolho da pesada porta de madeira ser aberto. Assim que a porta abriu, uma jovem, coberta por um capuz negro entrou no quarto.

- Rápido, troque suas roupas e vista isso. O senhor precisa deixar a torre. eu marido o torturará pela manhã para que entregue seus amigos.
- Por que me ajuda, linda donzela - perguntou Wilmorn.

- Vejo que possui coração nobre - respondeu a jovem que se chamada Atia e desposava Sir Collins Smith.

- Procuramos um nobre do norte. Ele Está aqui?

- Sim. Preso no calabouço. Entretanto, não é hora de fazer qualquer loucura. Mostrar-lhe-ei uma passagem que poderá usar para fugir e retornar ao castelo, mas terá que me prometer levar-me consigo.

- Sim - prometeu o menestrel.

Em pouco tempo, a senhora Atia guiou Wilmorn até o celeiro. Ela rolou um barril que dava passagem à uma entrada quadrada de um metro de altura. Atia lhe estendeu um lampião escorregou para a passagem.

- Esperarei você amanhã à meia-noite aqui no celeiro. Levarei vocês e seus amigos até o prisioneiro. Logo depois rolou o barril, ocultando a passagem.

No túnel, Wilmornn ficou de pé. Acendeu o lampião com uma pederneira e iluminou o caminho. Assim que viu a saída, tomou o cuidado de apagá-lo. Ele estava na base da colina, na qual a fortificação havia sido construída. Um descampado de dez metros o separava da floresta densa. Sem pensar duas vezes, o menestrel correu noite adentro para a floresta escura.

***

De volta à caverna, Wilmorn deixou Araor, o mago; Colossos. o guerreiro; Elster, o halfling; Traver Caolho e; Nihill Twohand Sword; cientes da passagem secreta. Todos então decidiram que deveriam atacar imediatamente, aproveitando a surpresa. Sem muitos problemas chegaram até o celeiro, conduzidos pelo menestrel.

A porta que pelo cálculos estava mais próxima do calabouço estava trancada por fora por uma barra. Araor a movimentou usando de sua magia, liberando a porta. Então, Colossos entrou sorrateiramente no pátio, mas para seu infortúnio, um servo que retirava água do poço o viu e deu o alarme. Em poucos segundos, vários guardas caíram armados com lanças, espadas e escudos sobre o grupo.

A batalha foi sangrenta. As magias que Elster havia conjurado sobre o grupo, antes que eles saíssem, deram-lhes grande vantagem. Os cinco conseguiram matar três guardas e deixar outros quatro nocauteados. Assim que os reforços chegaram, eles correram para o calabouço e barraram a porta.



Nenhum comentário:

Postar um comentário