Hammerblood 2 - Capítulo VIII


A Chantagem de Fane 
(por F.L.Dias)


Nihill carregou Colossos para uma igreja, pedindo ajuda a um monge franciscano. Ele levou-os até o estábulo para que pudessem descansar. Assim que o monge saiu para buscar um pouco de água e pão, Nihill lançou sobre Colossos algumas mágicas de cura.

Depois de descansados encontraram com Traver. Ele informou que os homens que atacaram eram de Fane, a mestra ladra. Algo estava cheirando mal na história. Então, combinaram de se encontrar na manhã do dia seguinte para ir cobrar a dívida do hebreu.
***

Na manhã do dia seguinte, Elster, o halfing e Colossos se encontraram com Traver. Nihill resolveu ficar no acampamento, pois Fane havia informado que o nome do hebreu era Bem Ami. Na sua vaga lembrança, Ben Ami era o hebreu para o qual havia se apresentado como um monge de uma seita obscura, quando deixavam Kethalos, alguns dias atrás.

Colossos, Elster e Traver foram para o bairro judeu. A região era isolada do restante da cidade por um muro e um portão. Guardas só deixavam passar pessoas da região ou que tivessem negócios com os judeus.

- Parem – ordenou o guarda quando os três se aproximaram. – Quem são vocês e o que querem.

- Sou Neel – mentiu Elster - e venho negociar joias com Bem Ami.

- Somente você e seu amigo podem passar – apontando para Traver. - O blackwolves não – apontando para Colossos.

Elster e Traver foram então para a casa de Bem Ami. Era uma das maiores casa do bairro. Um guarda de Ben Ami os recebeu e os levou até uma sala, para que aguardassem seu mestre. Enquanto esperavam, Uma caixa, com uma tela de vidro, vários botões cromados com uma plaqueta escrito Philco Hitashi chamou a atenção de Elster.

- Isso é uma relíquia do Cataclisma. Veio de um lugar distante chamado Terra. O que querem – Bem Ami havia entrado na sala sem que Elster percebesse.

- Mestre Ami, Fane enviou-me para que cobrasse uma dívida de 5.000 peças de cobre, mas como um homem rico como vós deve uma mestra ladra?

- Porque é mentira – falou Ami. – Ela está me extorquindo faz tempo, por motivos que não posso mencionar.

- Pois bem. Se os homens de Fane o procurarem, diga a eles que você me entregou o dinheiro – falou Elster. Ben Ami concordou, sem entender qual seria o plano do pequeno Halling.
***

- Aqui está o dinheiro. Nos dê a informação – falou Ester.

Fane ordenou que um de seus homens contasse. No seu escritório, seis salteadores fazia a segurança.

- Faltam cinco mil – falou Fane.

- O que, esse não foi nosso acordo – falou Colossos.

- Eu disse que a informação valia dez mil peças de cobre. Vocês fizeram um trabalho que me renderam a metade. Tenho outro serviço para vocês. Um goblin de Blacksmith tem um anel mágico que eu quero. Tragam-me e lhes darei a informação.

- E se nos recusarmos – falou Elster.

- Então serei obrigado a entregar suas insígnias, Colossos, para o duque Cuin - Um dos homens de Fane despejou o conteúdo da mochila de Colossos, na frente dos três. Em meio aos pertences, estava as roupas do guerreiro com sua heráldica – dois machados cruzados em um fundo vermelho.
***

Elster, Colossos e um jovem menestréu foram incumbidos de caçarem para o acampamento mercenário.  Longe do acampamento era uma ótima oportunidade para discutirem o rumo a ser tomado. Numa clareira na floresta, encontra-se com Traver.

Depois de discutirem se o menestréu seria de confiança, contaram-lhe qual o real motivo de suas vindas a Hideban. Procuravam por um cavaleiro, cujas inicias eram "CS" e seu brasão continha um corvo comendo os olhos de um crânio.

- Conheço esse cavaleiro, chama-se Sir Collins Smith e sua propriedade é quatro dias para o sul - informou o Wilmorn, o menestréu.

Os aventureiros pensaram. Se fossem para o sul, provavelmente, os Blackwolves e a guilda de ladrões chefiada por Fane se tornariam inimigos. Entretanto, se ficassem e cumprissem com a palavra empenhada aos mercenários e aos ladrões, em quatro dias o exercito marcharia para Kethalos. Salvar Bërl Hammerhand não teria mais significado algum. O que iriam fazer?

3 comentários:

  1. Pelas minhas barbas! Um dilema realmente difícil de ser resolvido...

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Salve Odin! Realmente, a trama partiu para um dilema! Espero que a decisão que tomem sejam a melhor!

    ResponderExcluir
  3. Como dizia Umezawa (aquele do Jitê-Ganha-Jogo d Magick): "A vida é uma sucessão de escolhas entre o ruim e o pior."

    ResponderExcluir