Hammerblood 2 - Capítulo VII


Fane
(por F.L.Dias)


Enquanto Elster amargava a manhã no cepo, Colossos e Nihill foram para a cidade. Traver havia marcado com eles no Barril Furado.

O chanceler Claudius Maskill, por ordem do Conde Cuin, proibiu que qualquer combatente entrasse armado na cidade. Assim, Colossos, levando apenas uma tocha para servir de porrete e Nihill, carregando um bastão partiram para a cidade.

Hidelban possui casas de dois andares, feitas de pedra e telhados triangulares. O castelo, ao fundo, tinha um ar sinitro, como todas as ruas. A cidade estava lotada. Os habitantes permaneciam na cidade com medo do exército que acampado às portas da cidade.

Colossos e Nihill não tiveram problemas para chegar ao Barril Furado. Com o libré dos Blackwolves e com a altura invejável de Colossos, ninguém ousava entrar no seu caminho. A taberna ficava na parte sul da cidade. Uma região decadente e cheia de marginais. Assim que ele entraram, procuraram uma mesa mais ao canto. Enquanto comiam, Traver entrou.

Enquanto esperavam, um homem magro se aproximou.

-Vocês procuram Fane, irá recebê-los. Sigam-me – falou o homem se dirigindo para o segundo andar.

Eles o seguiram atravessando a taverna cheia. Seis homens de aparência vil os esperavam no segundo andar. Um deles revistou Traver, Colossos e Nihill. Depois de desarmados, foram levados até um quarto.

Um perfume forte estava no ar. De trás de um biombo, saiu uma mulher branca, extremamente maquiada e muito obesa. Sua voz era estridente, mas despertava malícia e maldade.

- Então vocês querem informações.

- Sim – respondeu Nihill, que havia se apresentado como Greven. – Queremos informações sobre onde está o filho do baronete de Hammerblood. Claro, contamos com a sua descrição e temos certeza que é profissional.

- Obviamente tenho informações sobre Berd Hammerhand, mas lhes custarão dez mil peças de cobre – falou Fane, mostrando que sabia mais do que os aventureiros desconfiavam.

- Não temos esse dinheiro – o que poderíamos lhe dar em troca?

- Vocês irão até a casa de um hebreu e cobrarão uma dívida de cinco mil peças de cobre. Depois disso voltaremos a conversar.

Depois de pegar as informações de onde tal hebreu morava, se dirigiram para a residência dele. Entretanto, no meio do caminho seis homens cercaram Traver, Colossos e Nihill.

Estavam armados com machados, lanças e espadas. Em poucos segundos, os salteadores melhor equipados, derrubaram Colossos. Nihill conseguiu inutilizar dois salteadores, acertando-os com o bastão no braço, mas quando estava preste a ser dominado.

Com a derrota iminente, Traver fugiu. Nihill, então, teleportou para um telhado e começou a gritar por ajuda. Ouvindo os berros do mercenário, os salteadores fugiram levando apenas a mochila de Colossos.

4 comentários:

  1. Ora, ora, um desfecho muito interessante!

    Parabéns por mais um grande capítulo!

    ResponderExcluir
  2. vejo que a tatica teleporte ainda eh bem usada no seu grupo druid, certas coisas nunca mudam mesmo.
    bela maneira tambem de negociar informação no sub-mundo (sacarmos), realmente, tenho muito que aprender.

    ResponderExcluir
  3. Cm certeza o teleporte é um fuga honrosa para o grupo!

    ResponderExcluir
  4. O Adimar tem uma triste sina d perder td seu dinheiro. Na minha campanha, por causa d uma falha crítica na magia, tds suas moedas (q ele conseguiu cobrando magias d cura do próprio grupo) viraram borboletas e voaram pra longe. kkkkkk

    ResponderExcluir